Olodumare ilumine nossos caminhos.

Olodumare ilumine nossos caminhos.

terça-feira, 7 de maio de 2019

MEU DECA



MINHA FAMÍLIA DO CANDOMBLÉ

MEU BABALORISA DARY - GIBEREWA

SENHOR DOS SEGREDOS E FUNDAMENTOS PROFUNDO 
SENHOR DA MINHA VIDA E DO MEU ORI
SENHOR DA HUMILDADE E GRANDEZA NO MESMO EQUILIBRIO
SENHOR QUE ZELA E AMA MEUS ORIXAS.
SENHOR MEU PAI O QUAL ME CURVO COM CORAÇÃO CHEIO DE AMOR.

VOU POSTAR ALGUNS LINKS PARA ACOMPANHARE 
QUANDO POSSIVEL IR LA VIVER ESTE ASE.


A VIDA MARAVILHOSA E FORÇA ENERGÉTICA DE UM BOM CANDOMBLÉ.


CANAL DO YOTUBE

PAGINA DO FACEBOOK 



segunda-feira, 6 de maio de 2019

MARCELO MONTEIRO


BABA MARCELO MONTEIRO

TEM TODO MEU RESPEITO POR SER UM ESTUDIOSO E DISPONIBILIZAR  SEU CONHECIMENTO A TODOS NOS.
TEM TIDO UMA LUTA PERMANENTE PARA CONSTRUÇÃO DE UM PARTIDO POLITICO
QUE SEJA UMA ALTERNATIVA AO POVO DA RELIGIÃO O  PPLE

ABAIXO UM LINK DO SEU TRABALHO

Vale a pena conhecer.

https://www.youtube.com/watch?v=MzPTkqkki2k

quarta-feira, 10 de abril de 2019

ILE AXE TORRUNDE

Itan de Azauane.

Azauane era um Rei muito querido, generoso, saudável e rico.
Um dia Abita (Diabo), vendo a dedicação de Azauane para com Olófin (Deus), propôs se ele Abita poderia tentar colocar a prova a fé de Azauane e disse:
– Olófin confia mesmo na devoção de Azauane?
Olófin respondeu:
– Sim, claro que sim.
Então Abita disse-lhe que queria testá-lo.
– Deixe-me tirar toda a riqueza dele e eu quero ver se assim ele continua a te adorar.
Olófin assim permitiu.
Azauane perdeu tudo que tinha, ficando na total miséria, se tornando um mendigo.
Mesmo assim a devoção e o amor para com Olófin ainda continuavam.
Abita novamente pediu a Olófin:
– Se ele estiver doente, duvido que continue a te adorar.
Então Olófin permitiu que todas as pragas, doenças e sofrimentos do mundo caíssem em cima de Azauane.
Mesmo assim ele continuou bravamente a amar Olófin.
Não satisfeito Abita pediu uma última coisa.
– Deixe-me quitar-lhe a vida, assim eu duvido que ele ainda vá amá-lo.
Olófin assim permitiu.
Abita vendo àquele homem sofrido, doente, pobre e agora morto, propôs a ele:
– Olófin te tirou tudo, te deixou doente e ainda quitou-lhe a vida. Eu te darei tudo isso de volta e muito mais, mas terá que me adorar e nunca mais ser devoto de Olófin.
Azauane respondeu:
– Prefiro ser pobre, doente e morto a te render reverências, pois Olófin é o único Deus e eu sempre o amarei.
Com tudo isso Abita disse a Olófin que não tinha jeito, Azauane o amava de verdade. Então Olófin concedeu a Azauane toda a riqueza novamente, o poder sobre todas as pestes e doenças e assim devolveu-lhe a vida e o poder sobre a morte, consagrando-o como Orishá por seu amor e devoção.

segunda-feira, 25 de março de 2019

Itan de Onira

Onira era uma ninfeta que sonhava com a vaidade de Òsún. Todos os dias,  ela ia ver Òsún se banhar no rio, apreciava como ela cuidava dos cabelos, peles e  etc. Havia uma pedra no meio deste rio que até uma determinada hora, quando as águas ainda estavam baixas, ela se apresentava como uma ilha e era onde Onira ficava até que as águas começassem a subir. Num belo dia, Onira adormeceu e as águas subiram o seu nível rapidamente e a encobriu antes que ela pudesse acordar. Neste mesmo momento Onira estava sonhando que era uma Òsún. Conta esta itan (lenda), que o Criador se penalisando de tão lindo sonho não permitiu que Ikù a pegasse e a encantou naquele exato momento, o que lhe permitiu de continuar vivendo este sonho na sua vida real.

Conta-se um outro itàn, que existia nas terras de Irá, uma linda moça chamada Onira, ela sempre comandava seu povo com sabedoria. Mas, ela tinha um grande problema: adorava lutar e se sentia bem em matar seus inimigos. Onira era descontrolada quando tinha em punho sua adaga de guerra. Certo dia enlouqueceu de vez, chegou a um vilarejo e matou todos q alí encontrou. Os sábios da cidade de Irá resolveram procurar Osáàlá para que Ele na condição de Rei, mandasse que Onira parasse de matar.
Onira recebeu o recado q Osáàlá queria vê-la e foi até Ilê Ifé (palácio de Osáàlá). Chegando lá, Osáálá assustou-se, pois as roupas de Onira eram vermelhas, de tanto sangue de suas vítimas. Ela ajoelhou-se e perguntou o que o grande Rei queria. Osáàlá mandou que trouxessem uma grande quantidade de Efun (seu pó branco sagrado). Pegou seu pó e jogou sobre Onira. Na mesma hora suas vestes de cor vermelha, tornaram-se rosa, por causa da mistura do pó branco com o sangue. Então, Osáàlá ordenou que Onira não mataria mais ninguém, e que ela jamais vestiria vermelho em publico, e que rosa seria sua cor, e como ela era uma moça tão quente, que fosse morar nas águas junto com Òsún.
E lhe disse:
Onira minha filha, és uma moça tão bela, tão doce, por que matas?
Sinto-me bem quando tiro a vida de alguém, mas sei q isso não é certo.
Foi então q Osáàlá teve uma idéia.
Já que você gosta lidar com a vida e com a morte, você terá junto com Oyá o domínio sobre os Eguns. Não tirarás mais a vida de ninguém, apenas irá conduzir os que já se foram.
Está certo Osáàlá, seu desejo será realizado mas não tire de mim minha adaga.
Osáàlá disse: Pode deixar, mais agora vá morar na cachoeira com Òsún.
Onira obedeceu a Osáàlá, foi morar na cachoeira. Chegando lá Òsún ria e debochava dela, mais resolveu ser sua amiga. Porém, Onira muito mal humorada, não queria papo. Até que um dia Onira adormeceu sobre uma pedra, olhando Òsún banhar-se e as águas da cachoeira subiram e Onira estava morrendo afogada, Òsún vendo o que estava acontecendo, mergulhou e foi salva-la, chegando lá Onira estava quase morta e Òsún resolveu fazer um feitiço e na mesma hora Onira reviveu e transformou-se em uma espécie de lava que correu rio a fora. Onira transformou-se em um rio de fogo. Òsún pensou que Onira havia morrido, chorou por horas, sem saber o que diria a Osáàlá, já q ele a incubiu de tomar conta da moça atrevida. Foi então que surgiu uma borboleta linda, de cor salmão com tons alaranjados, que voava ao redor de Òsún. Ela tentou pegar a borboleta que voou para dentro da floresta, Òsún seguiu a borboleta que parou em frente a uma árvore e tomou a forma da linda Onira. Òsún não acreditava no que via, e Onira lhe disse:
Por que choravas minha amiga, estou aqui viva, e graças a você!
Graças a mim porquê Onira? Eu não fiz nada.
Na hora que eu estava morrendo você fez um feitiço e dividiu comigo todo seu encanto, agora sou uma ninfa (mulher encantada), assim como você, tenho poderes de transformação. Posso ser um rio de fogo nos meus momentos de ira, posso ser um búfalo quando eu quiser ficar sozinha, e me transformar na mais bela borboleta quando estiver feliz. E Onira foi até Osáàlá lhe contar o q havia acontecido, ele ficou feliz mais sabia que toda esta mudança jamais acalmaria Onira, e que por dentro ela ainda seria aquela guerreira incansável. Mandou então que ela fosse morar com Oyá e aprender a dominar os Eguns. Depois, Onira mudou-se e foi viver com Osóòsi e como ela foi criada por caçadores, sabia caçar como ninguém. E Onira morou com quase todos os Òrìsás, aprendendo tudo que eles sabiam fazer.

convite

Convidamos os amigos para Umbanda dia 05\abril\ 19horas
rua Idelfonso S, França 203. bairro Novo Mundo
Curitiba - contato 99977 2089
Ya Cris da Osun